A TI e a ‘Grande Resignação’


A agitação contínua por conta de talentos que afeta quase todos os setores não é apenas um problema de RH: a TI também tem um papel importante

Ryan Faas, Computerworld  – 11 de julho de 2022

Uma das maiores histórias relacionadas à pandemia foi a chamada Grande Resignação, uma reviravolta no mercado de talentos em quase todos os setores, em que funcionários reavaliam suas prioridades profissionais e o papel que o trabalho deve desempenhar em suas vidas. Salário, benefícios, vantagens dos funcionários, trabalho remoto, realocação, equilíbrio entre vida profissional e pessoal, cultura e o que os trabalhadores querem da vida em um mundo pós-pandemia são fatores que contribuem para esse fenômeno. É uma combinação que inclinou o mercado de trabalho em favor dos funcionários, deixando as empresas lutando para reter e atrair talentos.

É fácil ver a Grande Resignação como uma questão a ser tratada por executivos de RH ou de negócios, incluindo o C-suite. O RH deve se concentrar na questão, mas a TI pode – e deve – desempenhar um papel na elaboração de planos para adquirir e reter funcionários em todos os níveis, desde trabalhadores comuns até gerentes e executivos.

No nível mais básico, a TI precisa dar suporte às políticas relacionadas ao trabalho remoto ou híbrido, bem como aos planos de retorno dos funcionários ao escritório. Porque, dependendo de como o espaço físico do escritório será retrabalhado para uma realidade pós-pandemia, a TI será necessária para mapear a logística e garantir que os layouts dos escritórios funcionem de forma eficaz.

A TI tem uma oportunidade única de apoiar os esforços de contratação e retenção que vão muito além da logística. Envolver-se em um nível mais profundo pode fortalecer o relacionamento entre a TI e o resto da organização.

Troque ideias com o RH

O primeiro passo mais importante que a TI pode dar para se envolver no problema de retenção e recrutamento é compartilhar ideias com executivos e funcionários de RH. Infelizmente, esse relacionamento não é particularmente profundo ou forte na maioria das organizações. Os principais pontos de contato geralmente são a integração de novos funcionários e o gerenciamento do acesso à tecnologia e devoluções de dispositivos quando os funcionários saem da organização.

Mas você pode desenvolver esse relacionamento entendendo o que os usuários desejam da tecnologia de seu local de trabalho e trabalhando com o RH para desenvolver soluções que nem a TI nem o RH poderiam realizar por conta própria. Mesmo que nada tangível venha disso, uma grande vantagem de construir um relacionamento mais estreito entre os departamentos é o compartilhamento de ideias e perspectivas. Isso permite que cada equipe entenda melhor a outra e pense em maneiras de tornar a empresa mais atraente para funcionários atuais e futuros.

A escolha do funcionário importa

Uma coisa que pode atrair funcionários para uma organização é oferecer a eles uma escolha das tecnologias que eles usam. Muitas organizações descobriram que permitir que a equipe selecione entre um PC, Mac ou Chromebook torna a empresa mais atraente para possíveis contratações. Mesmo funcionários em potencial que não têm interesse em nada além de um PC baseado em Windows vão gostar de ter uma escolha. Ter opções demonstra que a organização é flexível, disposta a ouvir as necessidades e desejos dos funcionários e passa a impressão de ser uma organização com uma visão inclusiva ou holística do trabalho.

A escolha do funcionário não termina com a capacidade de selecionar uma plataforma de computação. Também se estende a dispositivos móveis, incluindo smartphones e tablets. Embora o iPhone seja geralmente o padrão de fato para negócios, os dispositivos Android são populares e oferecem recursos de nível empresarial.

Tornar o Android uma opção é um fruto fácil porque qualquer organização que tenha implantado uma solução de gerenciamento de mobilidade empresarial (EMM) para dar suporte ao iPhone já tem a capacidade de oferecer suporte a várias plataformas. A maioria dos serviços de EMM é compatível com iOS, iPadOS, tvOS, Android e ChromeOS (e até Windows). E a maioria das políticas definidas para uma plataforma pode ser facilmente aplicada a todas as plataformas suportadas. Com um esforço relativamente mínimo, você pode implementar a escolha do funcionário com ou sem BYOD.

Outro aspecto de abraçar essa ideia de escolha do funcionário é pedir aos funcionários que sugiram ferramentas que eles sintam que lhes permitirão ser mais eficientes e eficazes no trabalho. Embora o suporte a todos os aplicativos de produtividade na App Store ou Google Play Store — ou uma ampla variedade de serviços em nuvem — não seja realista, ouvir a entrada dos funcionários e agir de acordo com essa entrada tem a dupla vantagem de atrair e reter funcionários enquanto elimina uma das principais causas de shadow IT. Mais uma vez, ouvir também demonstra que a empresa está aberta a contribuições e flexível o suficiente para atender às necessidades dos funcionários.

Dito de outra forma, essa mentalidade de TI mostra que a empresa respeita que seus funcionários são especialistas em seu trabalho.

Remoto, híbrido e no escritório

Nem é preciso dizer que a TI – nos últimos dois anos – fez o trabalho pesado quando se trata de dar suporte ao trabalho remoto, por meio de uma combinação de serviços em nuvem e VPN. No entanto, quando se trata de trabalho híbrido e retorno ao escritório, a TI precisa se tornar um participante ativo na discussão. Isso é particularmente verdadeiro se uma organização estiver deixando de usar um espaço dedicado para membros da equipe para um arranjo mais flexível, como hot desks, espaços de colaboração e áreas de lounge projetadas para promover a interação entre os departamentos. Apoiar um retorno híbrido ao escritório também inclui projetar salas de conferência ou reunião que incluam sistemas de videoconferência mais recentes projetados para serem eficazes na interação da equipe.

Outra coisa a considerar é como oferecer suporte a horários flexíveis. Muitas organizações que mudaram para um retorno híbrido ou completo ao escritório viram trabalhadores escolhendo (ou querendo) trabalhar fora dos horários tradicionais. Isto é particularmente verdadeiro para funcionários com filhos. Eles se acostumaram a estar em casa quando seus filhos chegam da escola e muitas vezes precisam se adaptar a escolas fechadas e a ausência de profissionais ou pessoas que auxiliam no cuidado de seus filhos. Isso – e o desejo de estar mais próximo da família – levou muitos trabalhadores a aderirem à Grande Resignação. No mínimo, para atrair e manter esse talento, talvez seja necessário organizar a jornada da sua equipe de suporte em um intervalo maior de horas.

Não tenha medo de experimentar

Costuma-se dizer que pós-Covid, o local de trabalho não voltará ao antigo normal. Todos nós precisaremos negociar nosso caminho através do que vier a seguir. Isso significa que toda organização terá que revisar seu manual de TI. Embora muitas coisas não mudem, há áreas que devem e irão mudar. Para os departamentos de TI, isso significa examinar quais políticas e soluções existentes funcionam neste novo normal e quais não funcionam. Significa também identificar novas oportunidades.

Para esse fim, os departamentos de TI não devem se esquivar de agitar as coisas. Estabelecer centros de excelência em torno de tecnologias e políticas que incluam um amplo espectro de funcionários e gerentes, em toda a organização, é uma ótima maneira de reunir as pessoas para fazer brainstorming, desenvolver ideias e experimentar. Dessas sessões, surgirão várias ideias que podem ser testadas como projetos-piloto. Algumas delas funcionarão, enquanto outras serão marcadas como: “Bem, nós tentamos”. De qualquer forma, isso permite que a TI seja adaptável e engajada. A experimentação quase certamente levará a inovações que são desenvolvidas em conjunto com os funcionários e o departamento de TI.

Junto com essa ideia, os líderes de TI devem solicitar ativamente sugestões de toda a organização de TI. Você pode fazer isso por meio de canais interativos típicos, como e-mail, Slack, pesquisas ou discussões em grupo, como reuniões gerais ou campfire sessions, onde subconjuntos de TI se reúnem para discutir ideias. Isso pode beneficiar o curso de tecnologia de toda a empresa, refinar as operações de TI e ajudar a reter ou atrair a equipe de TI.

Pesquise o que outras empresas estão fazendo

Nenhuma empresa ou organização existe no vácuo, e todos estão tentando descobrir como seguir em frente. Há muito a aprender mantendo-se aberto a ideias internamente, mas também há muito a aprender explorando o que outras organizações estão fazendo. Compartilhar informações e ideias com organizações semelhantes pode gerar insights, caminhos a seguir e lições aprendidas que talvez você nunca descubra por conta própria.

Além de procurar outras empresas, uma excelente tática é conversar com fornecedores de TI (aqueles com os quais você já está trabalhando, bem como aqueles com quem você pode não estar trabalhando atualmente) e pedir informações. Os fornecedores trabalham com muitas organizações diferentes e podem oferecer insights exclusivos sobre como outros clientes estão se adaptando. Mesmo apenas revisar estudos de caso em sites de outras empresas pode gerar ideias que você pode moldar para suas situações específicas.

Faça parte de discussões políticas além da tecnologia

É natural que a TI tenda a se concentrar principalmente nas políticas de tecnologia ou nas tecnologias necessárias para dar suporte a outras iniciativas de políticas. Mas os líderes de TI (especialmente CIOs) devem se envolver ativamente em discussões de políticas que não sejam específicas da tecnologia. Muitas vezes, os líderes de TI terão insights exclusivos para compartilhar nessas discussões. É importante que a TI se sente à mesa.

À medida que os executivos de toda a organização lutam para saber como responder à Grande Resignação, todos os departamentos têm interesse em novas políticas e seus resultados. O compartilhamento de ideias e a construção de consenso podem ajudar uma empresa a articular seus objetivos, iniciativas e respostas de maneira consistente e coerente. O RH quase certamente será o principal departamento a executar quaisquer novas estratégias que surjam, mas as contribuições devem vir de todos os lugares, incluindo da TI.

Por mais que a rotatividade de talentos reflita uma reorganização de metas para os indivíduos e um desafio para praticamente todas as organizações, também é uma oportunidade. É provável que todas as empresas percam alguns funcionários e executivos nesse grande processo de reorganização. Mas isso também significa que há uma chance de atrair novos talentos que podem trazer novas ideias e novas visões para sua organização. Você simplesmente faz o trabalho para atrair esse talento. O sucesso nesse esforço exigirá que a TI seja um participante ativo no processo.

https://itforum.com.br/noticias/a-ti-e-a-grande-resignacao/

Se você tiver interesse e ainda não estiver inscrito para receber diariamente as postagens de O Novo Normal, basta clicar no link: https://chat.whatsapp.com/GeLUPi5zQ2582nGKD6JFey (02) para WhatsApp ou https://t.me/joinchat/SS-ZohzFUUv10nopMVTs-w  para Telegram. Este é um grupo restrito para postagens diárias de Evandro Milet. Além dos artigos neste blog, outros artigos de Evandro Milet com outras temáticas, publicados nos fins de semana em A Gazeta, encontram-se em http://evandromilet.com.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: