O plano do Google de provocar uma disruptura no ensino superior é exatamente o que o mercado de ensino superior precisa


Uma rápida olhada no modelo do Google mostra por que as faculdades devem se preocupar.

Jon Miltimore

por Jon Miltimore(tradução Evandro Milet) 

Minha esposa e eu recentemente contratamos um consultor financeiro que está nos ajudando a mapear nosso futuro financeiro. Ele parecia surpreso por não querermos tirar proveito da cláusula 529 do código tributário dos EUA, que ajuda os pais a economizar para a educação de seus filhos.

“Você tem três filhos”, disse ele. “As chances são de que pelo menos um irá para a faculdade. Não tem o que discutir. 

”Mesmo assim, questionamos. Gosto de reduzir minhas obrigações fiscais tanto quanto qualquer outra pessoa, mas a verdade é que tanto minha esposa quanto eu temos sérias dúvidas sobre o ensino superior. 

Embora nós dois tenhamos frequentado a universidade, as opções hoje parecem menos promissoras do que antes. 

A faculdade pode ter sido uma decisão sem discussão no passado para pais e alunos que podiam pagar, mas esse não é mais o caso. Custos crescentes, inflação de notas, redução de valor dos diplomas, a politização dos campi e uma série de outras questões tornaram menos claros os benefícios antes claros da faculdade.

Apesar de tudo isso, uma grande parte de mim ainda quer que meus filhos façam faculdade, porque parece que há poucas opções disponíveis. Isso pode estar mudando, no entanto.

Em julho, Kent Walker, vice-presidente sênior de assuntos globais e diretor jurídico do Google, anunciou no Twitter que a empresa estava expandindo suas opções de educação.

Foi um golpe direto na indústria de ensino superior da América.

“Diplomas universitários estão fora do alcance de muitos americanos, e você não precisa de um diploma universitário para ter segurança econômica”, escreveu Walker no blog do Google. “Precisamos de soluções novas e acessíveis de treinamento profissional – de programas vocacionais aprimorados à educação online – para ajudar a América a se recuperar e se reconstruir.

”Hoje, o @google está lançando um novo programa de empregos digitais abrangente para ajudar os americanos a voltar ao trabalho, quebrar barreiras educacionais priorizando habilidades e apoiar a recuperação econômica do país. Detalhes em minha postagem e destaques abaixo. https: //t.co/c4GrH5OA6h

– Kent Walker (@Kent_Walker) 13 de julho de 2020

Com certeza, é difícil imaginar alguém assumindo a indústria de ensino superior de US$ 600 bilhões dos Estados Unidos. No entanto, uma rápida olhada no modelo do Google mostra por que as faculdades devem se preocupar.

O Google está lançando vários cursos profissionais que oferecem treinamento para empregos específicos de alta remuneração e alta demanda. Os graduados do programa podem receber um “Certificado de Carreira do Google” em uma das seguintes posições: Gerente de projeto (US $ 93.000); Analista de dados ($ 66.000); Designer UX (US $ 75.000).

Embora o Google não tenha dito quanto custaria para receber um certificado, se for algo próximo ao Certificado de Profissional de Suporte de TI do Google, o custo é bastante baixo, especialmente em comparação com a faculdade.

Esse programa de suporte de TI do Google custa US$ 49 por mês para inscrições. Isso significa que um programa de seis meses custaria cerca de US $ 300 – mais ou menos o que muitos estudantes universitários gastam apenas com livros didáticos em um semestre, destaca Inc. 

Compare esse preço com o da faculdade, em que os alunos pagam em média cerca de US$ 30.000 por ano quando computados os custos de mensalidade, hospedagem, alimentação, taxas e outras despesas.

Ao contrário da faculdade, o Google não apenas entregará a você um diploma e o mandará embora. A empresa prometeu ajudar os graduados em suas buscas de emprego, conectando-os a empresas como Intel, Bank of America, Hulu, Walmart e Best Buy.

Os graduados também serão elegíveis para uma das centenas de oportunidades de aprendizagem que a empresa está oferecendo.

A Universidade ‘Vale a pena’?

Em economia, usamos um termo simples para falar sobre o que vale algo: valor. Sabemos que o valor é subjetivo. Mas se os consumidores compram algo livremente, isso sugere que os consumidores atribuem um valor àquele bem mais alto do que o preço.

Julgar o valor de um diploma é complicado, no entanto. Não é como comprar bife no mercado. Os compradores estão, em sua maioria, protegidos dos custos no curto prazo, e os benefícios da compra se estendem por muitos anos.

Sabemos que para muitos alunos, a faculdade é um excelente investimento que aumenta seus ganhos, enquanto para outros será um mau investimento porque eles não se formam ou adquirem habilidades de trabalho que não se traduzem em aumento de ganhos. (Por exemplo: eu trabalhei em um bar depois de receber meu diploma de graduação; não ganhei mais dinheiro porque tinha um diploma.)

Também sabemos que os preços e o valor mudam com o tempo. No caso do ensino superior, os preços aumentaram fortemente nos últimos 30 anos, enquanto o valor diminuiu.

Como Arthur C. Brooks apontou no The Atlantic em julho, de 1989 a 2016, os custos universitários com mensalidades e taxas aumentaram 98% em dólares reais (ajustados pela inflação), cerca de 11 vezes a renda familiar média.

Ao mesmo tempo, há evidências convincentes de que, embora o preço da faculdade esteja aumentando drasticamente, o valor dos diplomas está diminuindo devido ao excesso de diplomas.

Para pais como eu, a ideia de gastar US$ 350.000 para mandar meus três filhos para a universidade, para ser franco, me deixa um pouco enjoado. Do jeito que está, eu não vejo valor nisso. (Como digo à minha esposa, no entanto, isso não significa que não vou mandar meu filho para Princeton se ele ou ela for admitido e eu acreditar que a faculdade é a escolha certa para esse filho em particular.) Nos últimos dois anos, sempre que pensava no futuro dos meus filhos, ficava cada vez mais nervoso. Se não for a faculdade, então é o quê? Por que não existem opções melhores? Está aí uma grande necessidade.

A beleza dos mercados livres é que as necessidades não ficam sem atendimento por muito tempo. Em um sistema livre, a inovação tem uma forma de preencher as lacunas para atender ao que os consumidores desejam.

A expansão do sistema de certificação do Google oferece duas coisas que os jovens (e seus pais) valorizam muito: 1) treinamento em habilidades profissionais; e 2) prestígio.

Não subestime o poder deste último. Prestígio vale muito. Na verdade, quando você olha para a educação real que muitos estudantes universitários recebem hoje, prestígio é o que eles estão comprando, não educação.

O valor dos diplomas pode ter diminuído durante anos, mas pais e filhos ainda podiam aceitar os custos excessivos porque havia uma certa quantidade de status e reconhecimento conferidos simplesmente por estar na faculdade e depois se formar.

Grandes corporações como o Google têm mais a oferecer do que imaginam. No mercado de hoje, ter o Google em um currículo pode oferecer o mesmo prestígio de uma universidade – e possivelmente muito mais em termos de habilidades profissionais.

Assim que as empresas descobrirem que sua marca pode oferecer as mercadorias que os consumidores desejam – treinamento e validação para o trabalho -, isso pode perturbar o modelo educacional atual. É possível que as corporações também possam trazer um ressurgimento do antes popular estilo de aprendizagem prática que pode ser rastreado desde o Código de Hammurabi na Antiga Babilônia até os programas de treinamento de negócios de hoje, como Praxis e Google.

No mínimo, programas como os Certificados de Carreira do Google oferecerão competição muito necessária para o sistema universitário e opções adicionais para jovens que procuram dar seu próximo passo no mundo.

Pais do mundo, alegrem-se!

Jon Miltimore

Jonathan Miltimore é o editor-chefe da FEE.org. Seus artigos e reportagens têm sido tema de matérias na revista TIME, The Wall Street Journal, CNN, Forbes, Fox News e Star Tribune.Bylines: The Washington Times, MSN.com, The Washington Examiner, The Daily Caller, The Federalist, Epoch Times.

https://fee.org/articles/google-s-plan-to-disrupt-the-college-degree-is-exactly-what-the-higher-education-market-needs/amp

Se você tiver interesse e ainda não estiver inscrito para receber diariamente as postagens de O Novo Normal basta clicar no link: 

https://chat.whatsapp.com/BJnVYTeAIS5EDxI3py98KK para WhatsApp ou

https://t.me/joinchat/SS-ZohzFUUv10nopMVTs-w  para Telegram

Este é um grupo de WhatsApp restrito para postagens diárias de Evandro Milet. 

Além dos artigos neste blog, outros artigos de Evandro Milet com outras temáticas, publicados nos fins de semana em A Gazeta, encontram-se em http://evandromilet.com.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: