Hacker e mulher trans: Audrey Tang conta como é ser ministra digital de Taiwan


Em entrevista à EXAME, ministra Digital de Taiwan traz exemplos de como hackers criam soluções que beneficiam a sociedade, auxiliam no controle da contaminação da covid-19 e mais. Tang também comenta como ser uma mulher trans influencia sua visão e trabalho

Marina Filippe – Exame –  24/08/2022 

Pode parecer improvável que uma hacker assuma o ministério de um país, mas é exatamente isto que acontece em Taiwan. Desde 2016 Audrey Tang* ocupa a cadeira de ministra Digital, onde lidera projetos de transparência de dados, e colaboração entre governos, empresas e cidadãos. 

Ela, que é uma mulher trans, defende a importância da cultura hacker para a criação de produtos que resolvam problemas existentes, a partir de valores como liberdade e compartilhamento. “Há muitos problemas interessantes no mundo esperando que os resolvamos”, disse em entrevista à EXAME.

A ministra também compartilha soluções bem-sucedidas de controle da covid-19, distribuição de água potável e mais. Leia a entrevista completa a seguir.

Como o estado pode se beneficiar da cultura hacker?

A cultura hacker enfatiza a valorização da criatividade. Ao mergulhar em um campo ou sistema, os hackers podem criar produtos novos e significativos que criam coisas novas e resolvem problemas existentes, e acreditam nos valores de liberdade e compartilhamento.

Eric S. Raymond escreveu um artigo com o título de “Como se tornar um hacker”, mencionando que existem 5 atitudes importantes para hackers. Primeiro, há muitos problemas interessantes no mundo esperando que os resolvamos; em segundo lugar, depois de resolver um problema, você deve compartilhar sua solução e não deixar que outros desperdicem tempo resolvendo o mesmo problema; depois, todas as coisas longas e tediosas não devem desperdiçar o tempo de seres humanos para fazer, e devem ser feitas automaticamente por máquinas ou robôs; em quarto, os hackers buscam a liberdade e a transparência das informações e, portanto, se opõem a qualquer forma de totalitarismo; e por fim, os hackers devem pagar sua própria sabedoria, exercício e trabalho duro, e se comprometer a aprender uns com os outros.

Essas ideias na cultura hacker, são minhas crenças. Após ingressar no serviço público, fui lentamente inserindo o DNA dessa cultura em minha tarefa administrativa diária, mudando gradualmente a cultura do serviço público. Um governo que tenha o espírito da cultura hacker pode buscar novas possibilidades e não tem medo de resolver problemas difíceis. Ele tenta unir a todos para avançar e acredita nos valores de liberdade e compartilhamento. Um governo desse tipo será inovador e dinâmico, e será capaz de trabalhar com todas as pessoas para encontrar soluções para problemas difíceis.

Taiwan realiza o Hackathon Presidencial todos os anos desde 2018 para trazer a cultura hacker para o processo político. A presidente Tsai Ing-wen disse acreditar que o espírito de colaboração e compartilhamento representado pelo hackathon trará um novo modelo para resolver problemas no futuro.

Ao enfrentar desafios e problemas, as pessoas podem trabalhar juntas para estimular novas respostas e soluções para eles, e isso pode trazer mudanças no governo. Por meio do brainstorming, cada vez mais opiniões de cidadãos podem ser envolvidas no processo de administração do governo. As situações e problemas que encontramos na linha de frente podem ser imediatamente refletidos no desenho da política, o que pode acelerar a otimização das operações governamentais e tornar sua administração mais eficiente.

O que os estados precisam fazer para inserir essa cultura em seus governos?

Se um governo quiser introduzir a cultura hacker em um país, ele pode primeiro tentar resolver esse problema através do espírito hacker. O Hackathon Presidencial é dirigido pelo Gabinete Presidencial e organizado pelo Executive Yuan, e está aberto ao público para estimular a criatividade.

Por meio da participação e colaboração de todas as pessoas, aliada ao acesso aberto do governo à informação, as deficiências do setor público podem ser complementadas pela criatividade do setor privado, e os problemas sociais podem ser resolvidos por ideias de diversidade e inovação. As propostas vencedoras no Hackathon Presidencial, por exemplo, são orçadas pelo governo para implementação.

A proposta premiada em 2020, “CircuPlus Tea-Serving Operation”, foi desenvolvida após o promotor do grupo participar de um evento de limpeza de praia e descobrir que havia infinitas quantidades de PET. Para reduzir o desperdício causado pela água engarrafada, ele desenvolveu o aplicativo CircuPlus, junto com seus amigos.

Ao adotar uma tecnologia inovadora combinada com o tradicional espírito taiwanês de servir chá e hospitalidade, eles criam um mapa de Taiwan com os lugares que fornecem água potável gratuita. Pessoas com seus próprios copos podem usar o aplicativo para encontrar postos de água potável gratuita, o que elimina a necessidade de comprar água engarrafada e alcança a meta de redução de plástico na fonte e economia circular. Em junho, o número de estações de água potável em Taiwan ultrapassou 8.000, e o CircuPlus foi baixado por mais de 210.000 usuários.

Quais têm sido os principais desafios no Ministério até agora? E os principais avanços?

Em 27 de agosto, nosso governo estabelecerá o Ministério de Assuntos Digitais, um novo ministério com a mais alta prioridade de promover a resiliência digital para todas as pessoas. Resiliência significa que, quando confrontados com condições desfavoráveis, como epidemias ou desastres naturais, devemos não apenas ser capazes de resistir, mas também nos recuperar rapidamente do golpe. Devemos também aprender com essas experiências desfavoráveis ​​e fortalecer nossos próprios sistemas. Vamos construir a fundação de resiliência digital para todas as pessoas em três aspectos: inclusão social, transformação industrial e resposta à segurança da informação.

Assumiremos a liderança na introdução e até mesmo na demonstração de novas tecnologias digitais que serão estendidas a outras agências governamentais. Por exemplo, seremos os primeiros a experimentar assinar documentos oficiais em telefones celulares.

A segurança da informação deve ser o maior desafio que enfrentamos hoje, porque quanto mais diversos e inovadores os serviços governamentais se tornam, mais importante é manter a segurança da informação e manter as operações funcionando sem interrupção.

Diante de riscos repentinos de segurança da informação, devemos ser capazes de responder imediatamente, e muitos desafios virão de fora do país. Portanto, o maior desafio para o Ministério de Assuntos Digitais é estabelecer bons hábitos de segurança da informação e capacidade no governo para provar que Taiwan pode se defender e entrar no código público do sistema de defesa conjunto democrático.

Como seu trabalho ajudou a conter o Covid-19 e quais são as principais lições que outros países podem aprender com Taiwan?

Acredito que, diante de um problema, é melhor usar uma abordagem colaborativa para encontrar uma solução. O governo tem os recursos e os dados, e os usuários na linha de frente conhecem melhor o problema, então a melhor solução pode ser encontrada através da cooperação.

Por exemplo, no início do surto da pandemia de Covid-19 em 2020, quando a oferta de máscaras excedeu a demanda, nosso governo implementou um sistema de nomes para máscaras. A comunidade de código aberto, g0v, projetou um “mapa de máscaras” que permitiu que as pessoas verificassem o estoque de máscaras em várias farmácias em tempo real, para que não precisassem esperar na fila.

Como um dos participantes do g0v, sugeri ao Premier que deveríamos confiar mais em nossos cidadãos e abrir dados em tempo real ou API para tornar o mapa de máscara melhor. O Premier concordou com esta proposta, o que nos permitiu atualizar os dados mais recentes a cada 30 segundos. Devido a essa experiência, conseguimos implantar o mapa do kit de teste rápido muito rapidamente quando implementamos o sistema de nomes reais do kit de teste rápido.

“Confie em nossos cidadãos” é a valiosa experiência adquirida por Taiwan durante o período de controle da pandemia. Confiar que nossos cidadãos podem fazer aplicativos melhores se tiverem API e dados em tempo real é o espírito da cooperação entre o governo e todos os cidadãos.

Também garantimos que a linha direta epidêmica estivesse acessível para que as pessoas fizessem perguntas sobre medidas de controle sanitário, o que nos permite identificar e responder aos problemas mais rapidamente. Também realizamos coletivas de imprensa todas as tardes quando a epidemia é grave, para explicar a situação mais recente da epidemia e confiar em nosso povo de todo o coração de maneira aberta e transparente.

Como seu trabalho ajuda o estado e as pessoas por meio da transparência de dados?

Além do já mencionado Hackathon, também temos o projeto “Civil IoT Taiwan”, em resposta às questões cada vez mais críticas do ambiente natural e dos recursos. Estamos promovendo uma governança digital mais profunda com base em big data, Internet das Coisas e tecnologias de IA em quatro áreas principais: qualidade do ar, terremoto, recursos hídricos e prevenção e alívio de desastres.

Construímos uma plataforma de serviço de dados para integrar os dados do setor privado e do governo e, assim, padronizar o formato internacionalmente para facilitar o acesso ao uso de valor agregado. Também disponibilizamos os dados para empresas, academia e público em geral para incentivar todas as indústrias a criar serviços mais inovadores para enfrentar os desafios trazidos pelas mudanças ambientais.

Por exemplo, o “AirBox”, um monitor de qualidade do ar de baixo custo projetado pela g0v em 2015, pode monitorar a qualidade do ar. O setor público tem fornecido o espaço experimental para que as AirBoxes ganhem ampla visibilidade, e elas têm sido construídas gradativamente nas varandas das escolas e residências. Com a ajuda do projeto “Civil IoT Taiwan”, o número de AirBoxes cresceu de 2.000 para dezenas de milhares, e a qualidade do ar de todos os lugares em Taiwan agora pode ser verificada on-line.

Se esses espíritos hackers forem introduzidos em um governo, ele incorporará a confiança nas pessoas, e o governo trabalhará com todas as pessoas para criar soluções. Se eles forem aplicados a empresas, as empresas podem confiar em seus clientes e empresas parceiras para cocriação.

Como ser uma mulher trans afeta suas decisões no trabalho?

Ser transgênero me permite não ter uma mentalidade binária. Não acho que metade das pessoas esteja mais perto de mim, e a outra metade seja diferente de mim e, portanto, mais distante. Isso me permite ver as coisas de uma variedade de perspectivas e ser capaz de simpatizar com comunidades mais diversas com algumas das mesmas emoções e experiências de vida, o que me ajuda muito na minha posição.

*Audrey Tang foi um das palestrantes da Semana de Inovação organizada pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP)

https://exame.com/esg/audrey-tang-ministra-de-taiwan-como-a-cultura-hacker-pode-ajudar-governos/

Se você tiver interesse e ainda não estiver inscrito para receber diariamente as postagens de O Novo Normal, basta clicar no link: https://chat.whatsapp.com/HOBnTZ1EH6Z0l2lo0PHYf2 (13) para WhatsApp ou https://t.me/joinchat/SS-ZohzFUUv10nopMVTs-w  para Telegram. Este é um grupo restrito para postagens diárias de Evandro Milet. Além dos artigos neste blog, outros artigos de Evandro Milet com outras temáticas, publicados nos fins de semana em A Gazeta, encontram-se em http://evandromilet.com.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: